A receita para um casamento feliz

A receita para um casamento feliz

0 1641

A cada dia é mais difícil encontrar casais que estão casados há mais de 10 anos, e mais difícil ainda casais casados e felizes. E, caso sejam encontrados, são sempre questionados sobre a receita para fazer o casamento dar certo e serem felizes.

Na culinária encontramos receita para quase todos os alimentos e pratos, desde os mais simples aos mais requintados. Porém, o que diferencia o sucesso ou não no preparo são os temperos e o “toque especial” que cada um dá ao prato. Assim, ouso dizer que temos ingredientes essenciais para um casamento feliz e duradouro, mas a receita pode ser adaptada a cada casal na vivência do matrimônio.

Quando queremos acertar em uma receita, buscamos referências, avaliações ou alguém que já a tenha feito, alguém com experiência e que possa sanar quaisquer dúvidas que venhamos a ter. Por isso queria convidar você a olhar para a vida de um casal que soube de maneira mais perfeita viver a vocação ao matrimônio: José e Maria. O caminho trilhado pela Família de Nazaré nos guia para um matrimônio duradouro e feliz!

O primeiro passo é buscar a vontade de Deus e cultivar o amor verdadeiro. José e Maria descobriram o amor um pelo outro ao buscarem fazer o que o Senhor os pedia. Maria deixou o serviço no templo para ser dada em matrimônio a José, um homem justo e temente a Deus (Mt 1,19). Ambos trilhavam uma amizade com o Senhor e com a benção de Deus deixaram brotar de si um amor desinteressado, zeloso e verdadeiro que permitiu a eles ficarem juntos mesmo diante de perseguições, fugas e mentiras. Não se consegue manter um amor sozinho, mesmo porque ele não é sentimento. E quando um amor vem da vontade de Deus sua base não é o outro e tão pouco a si mesmo, mas o que o alimenta é o Senhor, fonte de amor que não se esgota.

Papa Francisco diz que para o amor durar é preciso cultivar o verdadeiro amor, já que, diante do medo do “para sempre”, muitos dizem: “Ficaremos juntos enquanto o amor durar”. O matrimônio é um trabalho de ourivesaria que se constrói todos os dias ao longo da vida. Ele ainda esclarece que o “para sempre” não é só questão de duração. “Um casamento não se realiza somente se ele dura, sua qualidade também é importante. Estar juntos e saber amar-se para sempre é o desafio dos esposos.”

Diante desse desafio outros três ingredientes são fundamentais: o comprometimento, a perseverança e o diálogo. Maria estava prometida a José e, antes do casamento, ela ficou grávida de Jesus por obra do Espírito Santo. O adultério, naquela época, era punido com o apedrejamento. José ao saber da gravidez, precipitadamente decide deixar Maria sem nem mesmo ouví-la (Mt 1,19), desistindo assim da sua vocação, do seu amor. Quantas vezes em nossos matrimônios isso não acontece? Situações vem e por não haver diálogo, por julgarmos precipitadamente as pessoas, por mal-entendidos esses fatos terminam em brigas, discussões, mágoas e divórcio. José e Maria só não experimentaram isso, pois um anjo do Senhor interveio e eles puderam seguir rumo ao matrimônio (Mt 1, 20-24). Mas em nossa vida isso nem sempre acontece. É necessário esforço de nossa parte, compromisso com a pessoa que está ao nosso lado, escuta, diálogo e coragem para não desistir na primeira dificuldade, na primeira discussão.

Ao assumir Maria como esposa, José comprometeu-se com ela, com a sociedade, a fazê-la feliz, a honrá-la e cuidar dela. Na celebração de um matrimônio nossos votos também são de compromisso de permanecer juntos até que a morte nos separe. Precisamos honrar esse compromisso, como José e Maria o fizeram. O problema da maioria de nós, é que não queremos nos esforçar, nos comprometer. Queremos que o matrimônio caminhe sozinho, que as coisas se encaixem por si mesmas e que tudo se resolva com o tempo. Não! Temos que fazer o necessário, o possível e impossível, pois o Senhor fez o casamento indissolúvel, para sempre e não podemos desistir, pois Ele nos dá condições para honrar, assim como deu aos seus pais.

Papa Francisco em uma audiência (03/09/14) afirma que é preciso coragem para se casar hoje em dia. “Vocês são uns corajosos!, esforçai-vos para manter um contato vivo com Deus, para que o amor seja sempre autêntico e duradouro”. É exigente sim, mas é possível e é desejo de Deus para a humanidade. Se você estiver disposto a investir tempo e esforço, você também poderá construir um casamento feliz e duradouro.

Por fim, o toque final dessa nossa receita é feito com respeito e confiança/cumplicidade. José precisou ir à Belém apresentar-se ao recenseamento e Maria estava quase a dar à luz (Lc 2, 1-7). Maria tinha todos os motivos para questionar José, para não confiar no caminho. Mas, como era um decreto e José precisava ir, Maria foi com ele, sem titubear, confiando que José cuidaria dela, saberia escolher um caminho. Porém, facilmente vemos o contrário acontecendo em muitos matrimônios. Marido e mulher que não se respeitam, não respeitam as escolhas e o jeito um do outro, que não confiam em seus parceiros, nos amigos do cônjuge, etc. O cultivo de posturas assim é a porta para o fracasso de um matrimônio. Respeito e confiança, geram cumplicidade entre o casal. E essa cumplicidade favorece o entendimento um do outro, o diálogo, as correções e o equilíbrio conjugal. Marido e mulher cúmplices sabem conduzir seus casamentos com os mesmos objetivos, sabendo o que priorizar, quando ceder, quando silenciar, como amar!

Há outros ingredientes que podem ser acrescentados e podem ser a diferença em nossos matrimônios, como bom humor, perdão, verdade, alegria…. e ser o tempero que falta. Mas o que não pode faltar é a presença do Senhor e um coração disposto a lutar pelo matrimônio. É verdade que construir um casamento feliz não é fácil, mas é possível e é o que Deus quer para todos os matrimônios. E quando o casal está decidido a se esforçar para incluir Deus em sua união, o resultado será felicidade e santidade. “Só Deus sabe criar a harmonia a partir das diferenças. Se falta o amor de Deus, a família também perde a harmonia, prevalecem os individualismos, se apaga a alegria. Pelo contrário, a família que vive a alegria da fé, comunica-a espontaneamente, é sal da terra e luz do mundo, é fermento para toda a sociedade.” (Papa Francisco)

Vamos em frente. Tenhamos coragem e espalhemos ao mundo a alegria de viver a felicidade no matrimônio! Estou com vocês nessa luta que é para sempre!

Sílvia Enes Marques

Comunidade Mariana Resgate

Tagged with: , ,

Artigos Similares

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Seu comentário será publicado após aprovação! *Campos obrigatórios. *