Briefing sobre as canonizações: Não está confirmada presença de Bento XVI

Briefing sobre as canonizações: Não está confirmada presença de Bento XVI

0 30

Cidade do Vaticano (RV) – Terceiro dia de briefing nesta quinta-feira, na Sala de Imprensa da Santa Sé, em vista das canonizações de João XXIII e João Paulo II. Na manhã desta quinta-feira tratou-se da vigília de oração que, a partir de sábado, prepararão os peregrinos presentes em Roma para a celebração do dia 27. Padre Federico Lombardi recordou os momentos relevantes do rito, ao qual está prevista, até o momento, a participação de representantes de outras religiões, de 93 delegações oficiais de diversos países e 24 entre Chefes de Estados e realeza. Pelo menos 150 Cardeais e mil bispos irão concelebrar. Não existe nada oficial sobre a presença do Papa Emérito Bento XVI na celebração na Praça São Pedro.
A grande festa da fé em Roma terá início já na noite de sábado, com diversas vigílias. Será a “noite branca” de espera, com orações e cânticos animados por grupos de diversas línguas, em pelo menos dez igrejas da capital, afirmou o Porta-voz do Vicariato de Roma, Padre Walter Insero:
“Como sabeis, haverá uma noite branca de oração. Quisemos fazer de modo tal que a cidade, abrindo sobretudo as igrejas no centro, desse hospitalidade aos peregrinos, uma hospitalidade espiritual obviamente, para fazer em modo tal que, quem chegar possa dirigir-se à oração e viver uma celebração, que permita portanto preparar-se com conteúdos, com textos extraídos da Palavra de Deus. Do site www.duepapisanti.org é possível descarregar os três esquemas previstos. Nas várias igrejas do centro, onde a oração terá uma animação, existem grupos, que farão a acolhida e permitirão a oração em diversas línguas”.
Esta noite de orações será aberta às 19 horas de sábado com a Missa na Basílica no Monte santo, onde João XXIII foi ordenado sacerdote em 1904 e prosseguirá em outras igrejas a partir das 21 horas:
“Após, às 21 horas, a oração seguirá na Igreja Santa Inês em Agonia, na Praça Navona, com animação em polonês; na Igreja São Marcos no Campidoglio, em italiano e inglês; na Santa Anastácia, em língua portuguesa; na Santíssimo Nome de Jesus, na Praça Argentina, em italiano e espanhol; na Santa Maria em Vallicella e na São João Batista dos Fiorentini, em língua italiana; na Santo André do Vale, em língua francesa; na São Bartolomeu, na Ilha Tiberina, com animação em italiano e em árabe; na Santo Inácio de Loyola, no Campo Marzio e nas Igrejas dos Estigmas, Santos Apóstolos, Sagrado Coração de Jesus na Via Marsala e na Santa Maria, em italiano”.
Já na manhã de domingo – explicou Pe. Lombardi – o programa iniciará na Praça São Pedro com a oração do Terço da Misericórdia às 9 horas, com os cantos do coral da Diocese de Roma, e então, o início da celebração com a Ladainha dos Santos. Ao Coral da Capela Sistina se juntarão na ocasião também a Filarmônica de Cracóvia e o Coral da Diocese de Bérgamo. A concelebrar com o Papa estarão cerca de 130-150 Cardeais e 1000 Bispos. Os mais próximos serão o Cardeal Vigário de Roma, Vallini, o Cardeal polonês Dziwisz e o Bispo de Bérgamo, Dom Beschi. Para a distribuição da comunhão estão previstos 870 entre sacerdotes e diáconos, da Praça São Pedro à Via da Conciliação. O rito da canonização – explicou Pe. Lombardi – abrirá a celebração: com as três petições ao Papa por parte do Cardeal Prefeito da Congregação dos Santos, Angelo Amato, e então a solene fórmula recitada pelo Pontífice para a veneração da Igreja universal dos novos santos:
“Em honra da Santíssima Trindade, para a exaltação da fé católica e o incremento da vida cristã, com a autoridade de Nosso Senhor Jesus Cristo, dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo e nossa, após haver longamente refletido e invocado diversas vezes a ajuda divina, escutado o parecer de muitos de nossos irmãos no Episcopado, declaramos e definimos Santos e Beatos João XXIII e João Paulo II, e os inscrevemos no álbum dos Santos e estabelecemos que em toda a Igreja eles sejam devotamente honrados entre os santos. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”.
Após a fórmula, serão apresentadas as relíquias dos novos Santos por pessoas próximas a eles, portanto, um momento de ação de graças e então se retomará a Missa a partir do Glória. Deve ser assinalado, como ocorre nas grandes festas, a proclamação do Evangelho em grego e em latim.
A respeito das presenças:
“Nenhum convite especial da Santa Sé”, esclareceu Pe. Lombardi, mas uma comunicação pela qual, quem estiver e demonstrar um particular interesse, será bem vindo. Isto vale para as delegações dos governos – são esperadas 93 delegações oficiais de diversos países e organizações internacionais e 24 entre Chefes de Estado e Presidentes com 35 delegações várias – e para os representantes de outras confissões religiosas. É esperado – disse Pe. Lombardi – um bom número de ortodoxos e anglicanos, mas também de judeus e muçulmanos.
Não existe nada oficial, por outro lado, sobre a presença do Papa Emérito Bento XVI, como sublinhou Lombardi:
“O Papa Bento é bem-vindo e sabe que sua presença é desejada e foi convidado. Nós respeitamos a sua liberdade, a sua idade e o seu sentir-se com forças para vir ou não naquele dia. Portanto, não existe nada oficial sobre sua presença, mas existe o desejo que ele venha. Se vier, ficaremos todos muito contentes, se não vier não temos o direitos de sentirmo-nos desiludidos por alguma promessa não cumprida, porque nenhuma foi feita”. (JE)

Fonte: News.va

Artigos Similares

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Seu comentário será publicado após aprovação! *Campos obrigatórios. *