“Com o perdão o coração renova-se e rejuvenesce” – Papa na celebração penitencial

0 141

O Papa Francisco presidiu a uma celebração penitencial não final da tarde desta sexta-feira na Basílica de São Pedro. O Santo Padre confessou alguns fiéis, mas antes ainda confessou-se a um dos 61 sacerdotes presentes na basílica vaticana. Esta celebração marcou o início da iniciativa “24 horas para o Senhor“, promovida pelo Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização. Este grande evento está a decorrer em várias dioceses do mundo durante este sábado.
No decorrer da celebração penitencial o Papa Francisco começou por considerar que no período da Quaresma, a Igreja, em nome de Deus, renova o seu apelo à conversão. É um chamamento para mudar de vida:

Converter-se não é uma questão de um momento ou de um período do ano… é um compromisso que dura toda a vida.

O Papa Francisco citou o Apóstolo João que escreve: “Se dissermos: ‘Não temos pecado’, enganamo-nos a nós mesmos e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, Ele, que é fiel e justo, perdoará os nossos pecados e nos purificará de toda injustiça.” Entra-se, assim, numa vida nova na qual somos chamados a renunciar ao pecado permitindo ver a realidade com olhos diferentes – salientou o Papa Francisco:

Esta vida nova permite-nos ver a realidade com olhos diferentes, sem nos deixar distrair por coisas que não contam nada e que não podem durar no tempo. Por isso, somos chamados a renunciar a comportamentos de pecado e a dirigir os nossos olhos ao essencial.”

O homem vale mais por aquilo que é do que por aquilo que tem’ – disse o Papa citando a Constituição Pastoral ‘Gaudium et Spes’. Eis, assim, a diferença entre a vida deformada pelo pecado e a vida iluminada pela graça:
Do coração do homem renovado por Deus, provêm bons comportamentos: falar sempre a verdade e evitar toda a mentira; não roubar, mas compartilhar aquilo que se tem com os outros, especialmente com quem precisa; não ceder à ira, ao rancor e à vingança, mas ser dócil, generoso e pronto ao perdão; não fazer calúnias que arruínam a fama das pessoas, mas ver mais o lado positivo de cada um. “

O Papa Francisco referiu-se depois ao amor de Jesus Cristo no qual devemos permanecer:

O amor de Jesus Cristo dura para sempre, nunca terá fim, porque é a própria vida de Deus. Este amor vence o pecado e dá a força para nos reerguermos e recomeçar, porque com o perdão, o coração renova-se e rejuvenesce.”

O nosso Pai nunca se cansa de amar e os seus olhos não se cansam de olhar para o caminho para ver se o filho que saiu volta ou perdeu-se – continuou o Santo Padre que afirmou ainda que ‘Deus não está somente na origem do amor, mas, em Jesus Cristo, chama-nos a imitar o seu mesmo modo de amar:“Amai-vos uns aos outros como eu vos amei”.

Na medida em que os cristãos vivem este amor, tornam-se discípulos credíveis de Cristo no mundo. O amor não consegue ficar fechado em si mesmo. É aberto por natureza, difunde-se e é fecundo, gera sempre novo amor.”

Finalmente o Papa Francisco referiu-se à iniciativa “24 horas para o Senhor”, dizendo que muitos serão missionários e proporão a outros a experiência da reconciliação com Deus. “24 horas para o Senhor” uma iniciativa à qual aderiram muitas dioceses, em várias partes do mundo:

A todos os que encontrardes, podereis comunicar a alegria de receber o perdão do Pai e de reencontrar a amizade plena com Ele. E dizer-lhes que o nosso Pai espera-nos, o nosso Pai perdoa-nos e mais ainda, faz festa.”

Tagged with:

Artigos Similares

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Seu comentário será publicado após aprovação! *Campos obrigatórios. *