adoração de jesus eucaristico

Corpus Christie

0 69

Caros leitores, é com grande alegria que venho partilhar com vocês sobre esta grande festa hoje comemorada em nossa Amada e Santa Igreja: Corpus Christie. 
 
Ao contrário do que muitos consideram, não é só mais um feriado, mas é a celebração litúrgica do “corpo de Cristo entregue e do sangue derramado por nós”. É a solene comemoração do amor do Filho de Deus, que deu a vida para nos salvar.
É preciso saber desfrutar bem desse momento em que nossa fé nos permite viver uma profunda reconciliação e adoração pois podemos contemplar o Corpo de Cristo, vivo a passar pelas ruas de nossas cidades.
Nos escritos de Dom Luciano Mendes de Almeida ao Jornal Folha de São Paulo, pudemos ler que “na Quinta-Feira Santa recordamos a última ceia, na qual Jesus instituiu o Sacrifício da Nova Aliança e a selou com seu próprio sangue, aceitando a morte violenta na cruz. O apóstolo João faz a apologia desse “amor primeiro” pelo qual Jesus Cristo -antes de qualquer resposta de nossa parte- entregou-se a Deus Pai por nós (1 Jo 4,8). A ênfase litúrgica é colocada no amor de Cristo por nós. “Não há maior amor do que dar a vida pelo amado” (Jo 15, 13)”.
E ainda: “na festa do “corpo de Cristo” louvamos a Deus pelo grande dom da eucaristia. Um aspecto primordial nessa celebração é a resposta da nossa parte à doação do salvador. “Deu a vida por nós”, diz são João, que conclui: “Também nós devemos dar a vida pelos irmãos” (1 Jo 3,16). 
Amor com amor se paga. Assim, a mensagem e o significado do “corpo entregue de Cristo” é a descoberta de que, ao amor gratuito e “primeiro” de Deus para conosco, deve corresponder o nosso “amor primeiro” aos irmãos: “Amai-vos uns aos outros como eu vos amo” (Jo 13,35). Entrar em comunhão com Cristo pela eucaristia é imitar o divino salvador e comprometer-se em empenhar-se a fim de que todos tenham vida”.
 
Na procissão de Corpus Christi, acompanhamos o Ressuscitado no seu caminho pelo mundo inteiro como dissemos. E, precisamente fazendo isto, respondemos também ao seu mandamento: “Tomai e comei… Bebei todos” (Mt 26, 26s.). Não se pode “comer” o Ressuscitado, presente na figura do pão, como um simples bocado de pão. Comer este pão é comunicar, é entrar em comunhão com a pessoa do Senhor vivo. Esta comunhão, este ato de “comer”, é realmente um encontro entre duas pessoas, é deixar-se penetrar pela vida d’Aquele que é o Senhor, d’Aquele que é o meu Criador e Redentor. A finalidade desta comunhão, deste comer, é a assimilação da minha vida à sua, a minha transformação e conformação com Aquele que é Amor vivo. Por isso, esta comunhão exige a adoração, requer a vontade de seguir Cristo, de seguir Aquele que nos precede. Por isso, a adoração e a procissão fazem parte de um único gesto de comunhão; respondem ao seu mandamento: “Tomai e comei”. (Papa Bento XVI)
 
Que Jesus, vivo e ressuscitado, proporcione a cada um de nós neste dia, uma experiência mística com Seu Corpo e Sangue.
 
Abraço fraterno,

 Emanuela Valente Pinto
Com. Mariana Resgate

Artigos Similares

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Seu comentário será publicado após aprovação! *Campos obrigatórios. *