ouvir-musica-da-prazer

Efeitos da música no ser humano

0 94

Quem canta reza duas vezes
(Santo Agostinho)
Amados irmãos, a paz!
Não poderia deixar de começar essa formação de uma maneira diferente desta – com essa frase de Santo Agostinho. Ela nos remete ao real sentido da música, do canto: a oração.
E, como sabemos, a oração pode ser definida como a “elevação da alma a Deus2(São João Damasceno). Sendo assim, achamos aqui o real sentido da música: levar a nossa alma a ter um profundo encontro com Deus!
Se observarmos com calma, veremos que a música está presente na Bíblia desde a criação, desde os tempos de Abraão, Isaac, Jacó, Moisés, Davi e assim por diante.
Infelizmente, hoje em dia, temos perdido esta bela consciência do propósito real da música.  E aí mora o grande perigo. Se a essência da música, do canto, é nos aproximar de Deus, algo que não esteja voltado para esta realidade só tende a uma coisa: nos afastar de Deus.
Da mesma maneira que pode ser uma arma poderosa para curar nossas feridas, para unir nosso coração ao do nosso Criador, pode ser uma arma mortal para alma.
Não raro vemos músicas com uma melodia puramente depressiva; outras sem nem mesmo melodia; letras que tiram por completo toda a dignidade do ser humano, comparando-o a animais; composições em que se mendiga um amor que nunca existiu, entre vários outros exemplos.
Amados, tão belo presente, dado por Deus a nós, deve ser usado para unir o humano ao espiritual. Deve ser usado para gerar vida, para curar nossas feridas, alegrar nosso coração em Deus!
Nossa alma é sedenta, porém, sedenta da presença do nosso Criador (Salmo 41, 3). Que a música possa ser canal para saciar – ainda que momentaneamente (pois somente seremos completamente saciados na glória eterna) – essa sede, e não motivo para deixá-la mais sedenta.
Para mim, a oração é um impulso do coração, é um simples olhar lançado ao céu, um grito de reconhecimento e amor no meio da provação ou no meio da alegria” (Santa Teresa do Menino Jesus)3.
Tomando por base as palavras de Santa Teresinha, podemos ver que a música – nada mais que uma maneira de orar – brota do coração, é um louvor, reconhecimento de tudo que Deus é em nossas vidas. Nos momentos tristes, de provação, alegres, difíceis, devemos entoar cantos de louvor a Deus, somente assim nossa alma será saciada, liberta, plenamente feliz!
Irmãos, nunca percamos a noção do real sentido da música e dos efeitos – benéficos e maléficos – que ela pode causar em nosso interior. Gostaria de finalizar com uma música da Salette Ferreira, rogando a Deus que, através da música, os nossos corações possam ser inflamados do amor Dele!
Se você tem algum testemunho sobre este assunto, deixe-o nos comentários.
Inflama, Senhor. Inflama, Senhor. Inflama, Senhor, nossos corações”.
Abraços.
Rafael Fernandes Martins
REFERÊNCIAS
1 Cf. Sto. Agostinho, Em. in Psal. 72, 1
2 S. João Damasceno, De fide orthodoxa, 3,24: PG 94,1089D
3 Sta. Teresa do Menino Jesus, Ms. autob. C 25r.

Artigos Similares

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Seu comentário será publicado após aprovação! *Campos obrigatórios. *