Entrevista com Cristiane Messias – Vocação Catequista

0 666

1) Como foi o seu chamado para ser catequista?

Meu chamado para ser catequista foi muito cedo. Na época quem era o coordenador da catequese era o João Bispo. Eu fiz minha primeira Eucaristia com 10 anos e, naquele tempo, não tinha perseverança (que são encontros para adolescentes que se reúnem para rezar e partilhar a palavra Deus). Como eu disse, não havia perseverança e eu queria muito ajudar a fazer alguma coisa na igreja. Eu sentia algo diferente dentro de mim que me chamava para ajudar na Igreja, na evangelização. Então, com 11 anos, fui chamada pelo João Bispo para ajudar na catequese. Comecei como catequista auxiliar e logo depois assumi uma turma sozinha. Quando eu iniciei na catequese eu percebi como é bom responder ao chamado de Deus, responder à uma vocação. Até hoje sou catequista. Gosto muito de evangelizar as crianças e sou muito feliz.

2) Há quanto tempo você está nessa missão de catequisar e onde você exerce-a?

Faz 20 anos que sou catequista na capela São Francisco de Assis.

3) O que é ser catequista?

SER CATEQUISTA é uma vocação! É um chamado da parte de Deus para uma missão.

O chamado a SER CATEQUISTA não é algo pessoal, mas obra divina, graça.

CATEQUISTA é aquele (a) que se coloca a serviço da Palavra, que se faz instrumento para que a Palavra ecoe. O Senhor nos chama para que, através da nossa vida, a Palavra seja proclamada… Jesus Cristo seja anunciado e testemunhado.

Conforme afirma São Paulo: “Não é a nós mesmos que pregamos, mas a Jesus Cristo, o Senhor. Quanto a nós, apresentamo-nos como servos vossos, por causa de Jesus” (2 Cor 4,5).

CATEQUISTA é aquele que vê no próximo um ser com possibilidades de ser transformado. Não é fazê-lo a nossa semelhança, mas sim avaliar suas potencialidades e deduzir até onde aproveitá-las.

SER CATEQUISTA é semear a esperança com gestos e palavras e levar a todas as pessoas a mensagem salvadora do amor.

4) Quais são os desafios desta missão?

Os desafios que encontramos nesta missão são as mudanças culturais, sociais e econômicas que ocorrem a todo momento. A falta de interesse das famílias que não dão atenção aos filhos. Não deixar que os encontros de catequese sejam vistos como sala de aula.

5) Qual mensagem você deixaria aos catequistas?

Parabéns pelo seu trabalho, pela sua dedicação, pelo seu exemplo de vida. Vocês são os olhos, os braços e as mãos de Jesus na Igreja. Continuem empenhados na evangelização de Cristo pois Ele conta com vocês. Que nossa querida Mãe, a Virgem Maria, possa ser sempre exemplo de catequista para nós e que tenhamos uma verdadeira amizade com Jesus.

Artigos Similares

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Seu comentário será publicado após aprovação! *Campos obrigatórios. *