Entrevista com Rafael e Camila

0 259

Para você que acompanha o nosso site trouxemos com muita alegria, neste dia dos namorados, uma entrevista com um casal de namorados que busca viver os propósitos de Deus em seu relacionamento. Confira um pouquinho da história dos nossos irmãos Rafael Fernandes e Camila Csizmar.

1) Rafael e Camila, vocês poderiam contar rapidamente para nós há quanto tempo vocês estão juntos e como vocês começaram a construir a história de vocês um do lado do outro.

Estamos namorando há 4 anos, completados HOJE! 😀

Bom, para poder contar melhor, vamos, cada um, contar como trilhamos esse caminho, até chegarmos a um ponto comum: nosso namoro!

Camila: Graças a Deus vivia bem o tempo de espera, tinha certo dentro de mim o chamado ao matrimônio e sabia que Deus, em algum lugar, tinha sonhado com um homem para estar ao meu lado. Só pedia a Nossa Senhora das Graças, que como presente, num tempo de “discernimento”, ganhasse uma medalha, imagem, algo que fosse Dela, do homem que Deus tinha escolhido para mim. Conhecia o Rafael de vista, mas, servindo a Deus, fomos nos aproximando, construindo uma amizade, até que “algo diferente” começamos a perceber dentro de nós um pelo outro.

Rafael: Partilhando brevemente, pois a entrevista está meio “longa” hehe… Eu passei boa parte da minha juventude namorando, mas sempre invertendo os fatos. Sempre ficava e, depois, com o tempo (já namorando) ia conhecendo a pessoa. Algumas vezes isso parecia dar certo, mas, no final sempre me frustrava. O primeiro fato que (ao meu ver) colaborou – e muito – para que as coisas não dessem certo foi: não colocar Deus como centro do relacionamento. O segundo, não conhecer antes de me envolver. Sempre um desses dois fatos (em alguns casos, ambos juntos) era determinante para o fim da relação. Quando Deus não está presente, a malícia entra e destrói, pouco a pouco, tudo que havia sido construído. Depois de tanto ‘bater com a cabeça na parede’, decidi que nunca mais ia namorar sem conhecer muito bem a pessoa que eu estaria me envolvendo. Daí iniciei meu tempo de espera! Vivi tão bem esse tempo solteiro, tão em Deus e tão feliz que estava determinado a voltar a namorar só se Deus abençoasse… se valesse muito a pena!

Aos poucos, no final de 2009, Deus foi nos proporcionando várias ocasiões em que pudemos ir, pouco a pouco, nos aproximando e nos conhecendo. Um ponto importante neste período foi que coordenamos juntos a acolhida do HosanAlfenas de 2009 e, com isso, estávamos conversando ainda mais. Sempre um preocupado com o outro, querendo ajudar, estar mais presente. Deus começou a dar alguns sinais para nós dois. Numa amizade começamos a além de conversar, a orar um pelo outro; sempre rezávamos juntos, por telefone, algum meio de comunicação. Até que em fevereiro partilhamos sobre o que estávamos sentindo e passamos a orar uma vez por semana juntos, para colher de Deus, se era isso mesmo que Ele queria. Vivemos um tempo mais próximos, conhecendo mais um ao outro, conhecendo mais sobre a família, os gostos, as qualidade e defeitos… Enfim, tudo que poderia contribuir para nos conhecermos mais… E, claro, sempre em oração! Para que Deus nos desse discernimento se isso tudo era vontade Dele. Em um dia que fomos rezar, o presente de Nossa Senhora chegou e o Rafael deu um chaveiro de Nossa Senhora das Graças. Após as confirmações de Deus, as orações, e ser isso mesmo que nós queríamos, assumimos o namoro em junho.

2) O que é o tempo de namoro?

O tempo do namoro pode ser resumido em uma palavra: comunhão. Tempo de iniciar e aprofundar, primeiramente, a comunhão de ambos com Deus e um com o outro. Os frutos que a busca – e o alcance – desta comunhão trazem são: o conhecimento de um e do outro; o amadurecimento do relacionamento do casal; a escuta a Deus e a construção da base para o matrimônio.

É um tempo importante para conhecer um ao outro, saber dos gostos de cada um, aquilo que irrita, aquilo que agrada. Conhecer a família e suas raízes. Mas, tão importante quanto isso, é tempo de conhecer a história, os traumas, dificuldades e alegrias que cada um viveu até este momento, buscando sempre o máximo de transparência e sinceridade, sem máscaras. Para isso, as ferramentas chave são a oração e o diálogo. Sempre juntos, nunca separados. Diálogo sem oração traz a comunhão um com o outro, mas não insere Deus no relacionamento. É o início de um tempo vivido a TRÊS: você, seu(sua) namorado(a) e Deus. A vivência deste tempo mostrará se ambos são chamados a um matrimônio juntos ou não.

A maturidade do casal é alcançada dia a dia, com a oração e a partilha, diante das situações alegres, mas também nas situações de desentendimento. É fundamental que exista compreensão e respeito. Que saibam ceder e deixar o orgulho de lado, pois ele pode acabar com um relacionamento. É um tempo de crescimento, e por isso é importante ter paciência com os passos do outro, pois nem sempre ambos caminham no mesmo ritmo. Alguns passos são dados com mais facilidade, outros com mais dificuldade, mas sempre caminhando juntos e nunca parados.

A construção da base para o matrimônio é alcançada com tudo o que foi citado acima mas, principalmente, escutando a Deus. Para isso é necessário muita ORAÇÃO pois apenas através dela o casal poderá colher aquilo que realmente vem de Deus.

3) Para vocês o que é um namoro cristão e o que vocês têm feito para buscar vivê-lo?

Para nós, um namoro cristão é um namoro vivido em sua plenitude. Viver um namoro sem ser cristão é como ter um carro sem gasolina. Tem-se tudo, menos o principal que vai mover toda a estrutura.

Um namoro cristão é aquele vivido conforme respondemos a pergunta anterior. É um namoro em que existe Amor (cf. I Cor 13, 4-7), e não amor. É um namoro vivido a TRÊS, onde Jesus também vive e participa deste relacionamento.

Para viver este tempo buscamos a oração semanal, juntos, se possível, na presença de Jesus Eucarístico. Se não, buscamos rezar o terço juntos, orações próprias ou alguma outra forma que nos mantenha em comunhão com Deus.

O respeito mútuo, nos esforçando para olhar o outro como Jesus olharia. Buscando sempre lembrar que o outro é imagem e semelhança de Deus e que o que fazemos um ao outro, de certa forma, fazemos para o próprio Deus (cf. Mateus 25, 40). Buscamos ver que um é o presente de Deus para o outro.

Nos esforçamos para ser reflexo de Jesus, trazendo a presença Dele para tudo o que vamos fazer: diálogos, partilhas, no olhar, carinho, nos dias de conversa mais séria, nos dias de lazer, nas brincadeiras, mensagens e etc. Trazemos sempre também a presença de Nossa Senhora, Ela que nos forma e nos apresenta a Jesus; pela intercessão Dela chegamos sempre mais perto de Jesus.

4) Rafael porque a Camila é um presente de Deus para você?

Porque a Ca vai muito além do que eu sonhei para mim. Tem tudo que eu sonhava em alguém e muito mais. É uma pessoa que está comigo independentemente da situação… que se decidiu por mim… por nós! É quem eu posso partilhar sobre TUDO, sem medo de julgamento, acusações. Mas, principalmente, porque ela olha para a mesma direção que eu e comungamos da mesma meta: ser mais de Deus um para o outro e testemunhar que é possível e belo viver um namoro cristão, com respeito e sem malícia.

5) Camila porque o Rafael é um presente de Deus para você?

Porque o Fael foi o escolhido de Deus para estar do meu lado… O Fael é um presentão de Deus para mim porque ele é o melhor de Deus para minha vida. Ele é a resposta das minhas orações, da minha espera. É o cuidado de Deus para mim!!! É difícil explicar em palavras… Nós dois nos entendemos, sabe?! Em meio às diferenças, ao mesmo tempo somos tão parecidos… Encontramos um no outro o Deus que nos faz ser iguais e nos abençoa todos os dias…

6) O catecismo da igreja Católica nos diz no art. 2345 : “A castidade é uma virtude moral. Também é um presente de Deus, fruto de um esforço espiritual. O Espírito Santo permite imitar a pureza de Cristo, aquele quas águas do batismo regenerou.  Como viver este lindo desafio que é castidade no namoro?

Como a própria pergunta sugere, é mesmo um desafio. Muitos pensam na castidade como abstinência sexual, ou melhor “sexo só depois do casamento”! De fato, isso deve acontecer, está implícito, mas vai muito além.

Imitar a pureza de Cristo (leia-se: viver a castidade) está no que citamos acima. Ter a pureza no olhar, pureza na maneira de falar, de agir, nos pensamentos, no saber ouvir (sem distorcer o que o outro está dizendo).

O sacramento do batismo, pela graça que ele traz consigo, nos torna aptos e nos dá condições de viver isso.

Por isso, se alguém algum dia dizer que é loucura viver a castidade e que isso hoje em dia não é possível, você já está ciente, a partir de agora, que É POSSÍVEL SIM!

A castidade diz respeito a tudo, quando estamos perto e quando estamos longe. Da maneira que nos cumprimentamos até a maneira que pensamos um no outro, da maneira que respondemos e por aí vai. Viver a castidade é buscar viver tudo sob o mover do Espírito Santo.

7) O que fazer para o namoro dar certo?

Ter abertura de ambos os lados para viver este tempo com seriedade, sem levar como uma brincadeira ou como “mais um namoro”. E se decidir por acolher um ao outro com suas qualidades e defeitos.

Vale lembrar que, mesmo seguindo tudo o que dissemos, pode acontecer do namoro não dar certo (terminar). Mas isso não deve ser desanimador, mas sim motivante, pois Deus sabe o que é o melhor para cada um e nenhum dia vivido nos propósitos de Deus é em vão. Sempre há o crescimento, aprendizado que só se consegue vivendo. Muitas vezes as pessoas aparecem em nossas vidas para nos curar, nos ensinar, nos ajudar a estreitar a nossa relação com Deus. Os planos de Deus são insondáveis e não cabe a nós questioná-los, apenas viver tudo o que Ele nos proporciona, acolhendo como uma graça.

8) Muitas pessoas sofrem com o tempo de espera pela pessoa certa. Para vocês como estas pessoas podem viver esse tempo para se prepararem para o outro?

O tempo de espera é tão importante quanto o do namoro, noivado e matrimônio e, por isso, precisa ser bem vivido.

Para isso, como tudo em nossas vidas, é necessário a abertura de coração, decisão e oração!

Se a pessoa não estiver aberta a esperar e não estiver firmemente decidida neste propósito, dificilmente conseguirá ir até o final.

Com a oração entregamos a Deus cada dia de espera, entregamos a vida da pessoa que Deus reserva e, principalmente, preparamos nosso coração.

Hoje vivemos um tempo em que tudo tem que ser “pra ontem” e as coisas tem que acontecer na hora, no nosso tempo. Apenas um coração aberto, decidido e vigilante na oração conseguirá entender o quão valioso e frutificante é essa fase.

A espera doma nossa ansiedade, nossos impulsos, nos traz equilíbrio, discernimento e nos faz ver o quão preciosos e valiosos nós somos. Quem espera sempre se beneficia!

9) Qual recadinho vocês gostariam de deixar para os casais de namorados neste dia de hoje?

Busquem sempre a Deus. Nunca deixem de viver esse relacionamento a três!! Deus nos criou para a eternidade junto com Ele. Se você até hoje não experimentou trazer Deus para o centro do seu namoro, das suas vidas, faça essa experiência! E você que já vive desta maneira, persevere! Ele é e sempre será o Caminho, a Verdade e a Vida que vocês necessitam a cada instante.

Artigos Similares

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Seu comentário será publicado após aprovação! *Campos obrigatórios. *