rafael fernandes

Entrevista com Rafael Fernandes

0 45

Irmãos, iniciaremos uma serie de postagens em nosso Blog com Entrevistas.
O objetivo é conhecermos nossos irmãos. Essas entrevistas serão feitas com os membros do grupo de oração e com algumas pessoas conhecidas de nossa

 
Nossa entrevista de hoje é com Rafael Fernandes,
membro do núcleo Missão Resgate e
baixista do Ministério de Música Mariano Resgate.
1) Ha quanto tempo você participa da Igreja?
Bom, comecei minha caminhada em 2002 e servi até o final de 2004. Fiquei algum tempo afastado e voltei em 2009.
Se juntar tudo, aproximadamente uns 5 anos.
 
2) Como foi seu encontro pessoal com Jesus?
Foi ótimo! Na época eu devia ter aproximadamente 14 ~ 15 anos. Mudou minha vida completamente, até os dias de hoje.
Lembro que foi em um rancho em Paraguaçu, se não me engano, no retiro do PESC (Pastoral Estudantil do Sagrado Coração).
Daqueles dias em diante Deus me contagiou de tal maneira que mesmo um tempo afastado não consegui ficar longe da obra.
3) Você está no 5° período de Farmácia na Unifenas, e sabemos que o ambiente universitário muitas vezes não nos permite expressar a nossa fé e religiosidade. Quais são as barreiras que você tem enfrentado e como tem testemunhado Jesus na faculdade?
Bom, realmente é meio difícil. Não é fácil viver e praticar tudo que vivenciamos em um ambiente onde a grande maioria não compartilha das mesmas opiniões e não sentem o mesmo amor que sentimos. Acho que essa é a maior barreira: colocar em prática onde as coisas não são favoráveis. Graças a Deus, na faculdade, há pessoas que compartilham desse sentimento e que caminham ao meu lado, o que me ajuda a superar essas barreiras e a permanecer firme. Uma maneira de testemunhar, são os Grupos de Oração Universitários (GOUs), são momentos em que podemos expressar mais a nossa fé e mostrar esse Deus para as demais pessoas que la estão. Mas, mais que isso, tenho procurado mudar a cada dia minhas atitudes, para ser reflexo de Deus la. Não tem sido fácil também, mas espero a cada dia conseguir melhorar, para ser luz na vida das pessoas que estão ao meu redor.
4) Sabemos que há alguns meses você foi chamado para ser servo do Missão Resgate, mas não é o primeiro grupo que você serve, certo? Dentro da sua história de servo de Deus, o que é servir para você?
Realmente, antes de chegar na Missão já havia passado por alguns outros grupos. Servir, para mim, é estar pronto para realizar a vontade de Deus onde quer que seja. Estar sempre disposto para ajudar no que precisar, sem escolher serviço. Fazendo tudo com alegria, nunca por obrigação; simplesmente estar feliz por estar levando as pessoas pra mais perto de Deus, fazendo algo para ver a vida delas melhor, com Ele. Assim como Maria fez. É, sem duvidas, o exemplo que devemos procurar seguir.
5) Deus nos mostra através de sua Palavra a importância da oração. Como você vê a oração na sua vida e no serviço a Deus?
Acho que pode ser resumido como essencial, indispensável. Nesse tempo de caminhada pude perceber que o tempo em que minhas quedas foram mais frequentes foi os que mais deixei a oração de lado. E, se estou fraco na caminhada, obviamente estarei no serviço. Sem oração não temos condição de caminhar com passos firmes, não temos intimidade com Deus e não servirmos direito. Sem a oração o serviço que deveria ser prazeroso passa a ser um fardo. Somente através dela conseguimos ser livres no Espírito Santo.
 
6) Em Levítico 19, 2 Deus nos convoca à santidade: “Sede santos, porque Eu, o Senhor vosso Deus, Sou santo”. Como você tem feito sua busca pela santidade e quais são suas maiores dificuldades?
Tenho buscado a santidade através da renúncia das minhas vontades para buscar a vontade de Deus. Nem sempre tenho conseguido, pois não é algo fácil, mas tenho perseverado.
Me baseio sempre naquela frase de que “um santo não é aquele que não peca, mas sim aquele que se lava sempre”. Procuro sempre confessar, praticar o jejum, orar, coisas assim. Mas, além disso, procuro levar Deus ao coração daqueles que anseiam por Ele. Acho que as boas obras são algo que nos fazem crescer na fé e nos aproximam de Deus, nos santificando também.
A maior dificuldade que tenho são as quedas. Saber que algo não é certo e errar acaba me deixando um pouco pra baixo, mas devemos sempre erguer a cabeça e procurar dar o nosso melhor. Cada segundo que temos é uma nova oportunidade para buscar a santidade e fazer tudo diferente.

Artigos Similares

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Seu comentário será publicado após aprovação! *Campos obrigatórios. *