santa Teresinha

Novena em louvor a Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face

0 1285

A novena deve ser iniciada no dia 23 de Setembro com encerramento 1 de Outubro

Oração inicial

Dirigente: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Todos: Amém.

Dirigente: Deus, vinde em nosso auxílio.

Todos: Senhor, socorrei-nos e salvai-nos!

Dirigente: Rezemos.

Vinde, ó Santo Espírito, e mandai do céu um raio de vossa luz. Vinde, Pai dos pobres. Vinde, ó Distribuidor dos bens. Vinde, ó Luz dos corações. Vinde, ó Consolador nosso, Hóspede da alma, suave alegria. Vinde aliviar os trabalhos, temperar os ardores e enxugar as lágrimas. Ó luz abençoada, inflamai o mais íntimo dos vossos fiéis. Sem a vossa força, nada há no homem, nada de inocente. Lavai, pois, o que está maculado, regai o que é seco. Sarai o que nada enfermo. Abrandai o que é duro, abrasai o que é frio. E reconduzi o desviado. Daí aos vossos fiéis, que em vós confiam, vossos sete dons. Dai – nos o mérito da virtude. O dom da graça final e o glorioso prêmio das alegrias eternas. Amém.

1º DIA
 Santidade ao alcance de todos

Motivação

“Não quero ser santa pela metade…”

(Santa Teresinha)

Dirigente: Iniciamos esta novena pedindo ao Senhor  que aumente em nós a sede de santidade. Sob a inspiração de santa Teresinha, seremos motivados à busca da santidade cotidiana, tecida nos pequenos acontecimentos e nas oportunidades aparentemente insignificantes. Um dos grandes méritos da pequena Teresa foi provar que a santidade não é um dom reservado a uma elite. A leitura de seus escritos leva-nos a crer: não precisamos ser heróis nem nos sujeitarmos a sacrifícios e penitências insuportáveis para sermos santos. Com outras palavras, ela quis incentivar-nos na vivência do Evangelho, quase afirmando: se eu, ta pequena, sou capaz de ser santa, todos os que desejarem também o serão, isso se não contarem com suas próprias forças. A Santa das Rosas deixa claro: que nos santifica é a misericórdia de Deus, sempre atento aos nossos esforços e nem um pouco preocupado com nossos fracassos na busca da perfeição. Ele vem em socorro da nossa pequenez.

Leitura bíblica: Mt 5, 43 – 48

                 “Vocês ouviram o que foi dito: ‘Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo!’ Eu, porém, lhes digo: amem os seus inimigos e rezem por aqueles que perseguem vocês! Assim vocês se tornarão filhos do Pai que está no céu, porque Ele faz o sol nascer sobre os bons e os maus, e a chuva cair sobre os justos e injustos, pois, se vocês amam somente aqueles que os amam, que recompensa vocês terão? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa? E se vocês cumprimentarem somente seus irmãos, o que é que vocês fazem de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? Portanto, sejam perfeitos como é perfeito o Pai de vocês que está no céu”.

(Momento de silêncio)

Oração

 

                Ó Deus, Pai misericordioso, que nos criaste tão fracos e limitados, ponde em nossos corações o mesmo ardor de santidade que marcou a vida de santa Teresinha, que fugiu da mediocridade e não quis ser “santa pela metade”. Vós que a cumulaste de graças, derramai vossas bênçãos sobre todos nós, que exaltamos vossa misericórdia. Nós vos pedimos, por intercessão de nossa Santinha, vinde em socorro de nossas necessidades e atendei-nos (faz-se o pedido). Isso vos pedimos por Cristo, nosso Senhor. Amém.

Pai-nosso, Ave-Maria, glória ao Pai.

2º DIA
 A oração: impulso de amor

Motivação

 “Peço a Jesus me atraia às chamas de seu amor, me uma tão estreitamente a Ele, que seja Ele quem vive e atua em mim.”

(Santa Teresinha)

 

Dirigente: Nesse segundo dia nos deteremos nos caminhos percorridos pela pequena Teresa em sua vida de intimidade com deus. Ela foi uma jovem orante, capaz de mergulhar no abismo da misericórdia de Deus por meio do diálogo amoroso com Jesus Cristo, sem necessidade de êxtases e manifestações extraordinárias. Seu itinerário de manja contemplativa dispensava visões de anjos e santos. Orava incessantemente, mesmo quando não encontrava consolo na oração. Para Teresinha, a oração tornou-se uma “arma invencível” que Jesus lhe deu para sensibilizar as pessoas. Oração descomplicada e efetiva, nascida de um coração repleto de amor, realizada com alegria meso quando se encontrava imersa na mais densa treva. Sem orar, nós nos debilitamos e não conseguimos enfrentar as provações da vida. Aprendamos com a Santa de Lisieux a não reprimir os impulsos do coração carente de diálogo e comunhão com o Pai misericordioso. Se estamos espiritualmente áridos, temos ainda mais motivação pra nos recolher e dialogar com Deus de forma bem espontânea, como filhos diante do Pai.

Leitura bíblica: Lc 11, 9 – 13

 

                “Portanto eu lhes digo: peçam e lhes será dado. Procurem e encontrarão! Batam, e abrirão aporta para vocês! Pois todo aquele que pede, recebe; quem procura, acha; e a quem bate, aporta será aberta. Será que alguém de vocês que épai, se o filho lhe pede um peixe, em lugar do peixe lhe dá uma cobra/ ou ainda: se pede um ovo, será que vai lhe dar um escorpião? Se vocês, que são maus, sabem dar coisas boas aos filhos, quando mais o Pai do céu! Ele dará o Espírito Santo àqueles que o pedirem”.

(Momento de Silêncio)

Oração

 

Ó Deus, Pai misericordioso, santa Teresinha se entregava com prazer à oração para melhor vos conhecer e amar. Embalada em vossos braços, nada temia. Sua oração era simples e infantil no sentido evangélico, marcada pelo abandono confiante. Queremos imitar a Santa das Rosas na necessidade de estar sempre em comunhão convosco. Vós, que a cumulaste de graças, derramai vossas bênçãos sobre nós, que exaltamos vossa misericórdia. Nós vos pedimos, por intercessão de nossa Santinha, vinde em socorro de nossas necessidades e atendei-nos (faz-se o pedido). Isso vos pedimos por Cristo, nosso Senhor. Amém.

Pai-nosso, Ave-Maria, glória ao Pai.

3º DIA
 Nossa Senhora é Mãe de todos

Motivação

 

“Quando me sobrevém uma inquietação, um contratempo, bem depressa me volvo a ela, e, como a mais carinhosa das mães, sempre toma a seu encargo os meus interesses.”

(Santa Teresinha)

 

 

Dirigente: Neste terceiro dia refletiremos sobre a presença de Maria na vida de santa Teresinha. A Santíssima Virgem foi a doçura de seus dias na terra. A Santa das Rosas viveu intensamente sua filiação de graça em relação à Mãe do Céu. Não a amava tanto como Rainha, mas muito mais como Mãe. Desejou ser sacerdote para pregar sobre a virgem. Chegou a sugerir aos padres que em suas pregações exaltassem menos as glórias de Maria para apresentar as “virtudes praticáveis” de Nossa Senhora. Teresinha vê Maria como mãe e modelo de santidade. Queria segui-la em sua atitude de serva que se entrega confiantemente nas mãos de Deus. E jamais se esquecerá de que foi curada de uma enfermidade, quando criança, por um sorriso de Nossa Senhora das Vitórias. A memória desta mãe providente será eterna na vida devotada filha. O último poema de santa Teresinha escrito no auge de sua enfermidade, foi dedicado à Maria Santíssima: “Por que eu te amo, ó Maria…”

Leitura bíblica: Jo 2, 1 – 12

 

                “No terceiro dia houve uma festa de casamento em Cana da Galiléia, e a mãe de Jesus estava aí. Jesus também havia sido convidado para esta festa de casamento, junto com seus discípulos. Faltou vinho e a mãe de Jesus lhe disse: ‘Eles não tem vinho’. Jesus responde: ‘Mulher, que existe entre nós? Minha hora ainda não chegou’. A mãe de Jesus disse aos que estavam servindo: ‘Façam o que ele mandar’. Havia aí seis potes de pedra de uns cem litros cada um que serviam para o rito de purificação dos judeus. Jesus disse aos que serviam: ‘Encham de água esses potes’. Eles encheram os potes até a boca. Depois Jesus disse: ‘Agora tirem elevem ao mestre-sala’. Então levaram aos mestre-sala. Este provou a água transformada em vinho, (…) chamou o noivo e disse: ‘Todos servem primeiro o vinho bom e, quando os convidados estão bêbados, servem o pior. Você, porem, guardou o vinho bom até agora’. Foi assim, em Caná da Galiléia, que Jesus começou seus sinais. Ele manifestou a sua glória, e seus discípulos acreditaram nele. Depois disso, Jesus desceu para Cafarnaum com sua mãe, seus irmãos e seus discípulos. E aí ficaram apenas alguns dias. ”

(Momento de Silêncio)

Oração

 

Ó Deus, Pai misericordioso, nós vos louvamos por terdes solicitado a cooperação da Virgem do Sorriso para que o Verbo fizesse morada entre nós. Ela disse “sim” e fizeste nela maravilhas sem conta, tornando-a tão delicadamente preocupada em interceder por nós. Nós vos pedimos, pelas rosas de santa Teresinha, infundi em nossos corações o mesmo carinho que a Padroeira das Missões nutria pela Mãe do Céu. Vós, que cumulaste de graças a Doutora da Ciência do Amor, derramai vossas bênçãos sobre nós, que exaltamos vossa misericórdia. Nós vos pedimos, por intercessão de nossa Santinha, vinde em socorro de nossas necessidades e atendei-nos (faz-se o pedido). Isso vos pedimos por Cristo, nosso Senhor. Amém.

Pai-nosso, Ave-Maria, glória ao Pai.

 
4º DIA
 VIVER E MORRER DE AMOR

Motivação

 

“Minha vocação é o amor! Jesus, quero amá-lo, amá-lo como nunca foi amado. Que ele me dê um amor sem limites.”

 (Santa Teresinha)

  

Dirigente: Neste quarto dia, penetraremos o núcleo da espiritualidade teresiana: o amor. Santa Teresinha afirma em sua outobigrafia: “Eu voei nos caminhos do amor…” Seu único desejo era amar Jesus até a loucura. Fez de cada gesto, de cada ato de sua vida, uma oblação de amor. Para ela, o amor não era apenas um sentimento nobre: “Não é bastante amar, é preciso prová-lo!” Tinha consciência de que “as menores ações feitas por amor” são as que mais “encantam” Jesus. Procurou viver o amor a cada instante. Quis viver e morrer de amor, consumir-se totalmente nele. O amor é a fonte de energia que fecunda toda a sua vida espiritual, a única realidade que a atrai: “Não desejo mais nem o sofrimento nem a morte, contudo, os amo todos os dois, mas é só o amor que me atrai”. Pouco antes de morrer, dirá: “Eu não me arrependo de me ter entregado ao amor”. Suas últimas palavras serão uma declaração de amor: “Meu Deus, eu vos amo!”

Leitura bíblica: Jo 15, 14 – 17

 

                “Vocês são meus amigos, se fizerem o que eu estou mandando. Eu já não chamo vocês de empregados, pois o empregado não sabe o que o seu patrão faz; eu chamo vocês de amigos, porque eu comuniquei a vocês tudo o que eu ouvi de meu Pai. Não foram vocês que me escolheram, mas fui eu que escolhi vocês. Eu os destinei para ir e dar fruto, e para que o fruto de vocês permaneça. O Pai dará a vocês qualquer coisa que vocês pedirem em meu nome. O que eu mando é isto: amem-se uns aos outros.”

(Momento de Silêncio)

Oração

 

Ó Deus, Pai misericordioso, santa Teresinha sabia que para vos amar nesta terra ela só possuía o dia de hoje! Jamais perdia tempo pensando no amor que vos poderia dar amanhã, nem media o quanto teria vos amado ontem. Queremos ter essa mesma necessidade de viver um amor imediato por vós e por nossos irmãos. Vós, que cumulastes de graças vossa serva santa Teresinha do Menino Jesus, derramai vossas bênçãos sobre nós, que exaltamos vossa misericórdia. Nós vos pedimos, por intercessão de nossa Santinha, vinde em socorro de nossas necessidades e atendei-nos (faz-se o pedido). Isso vos pedimos por Cristo, nosso Senhor. Amém.

Pai-nosso, Ave-Maria, glória ao Pai.

 
5º DIA 
CANTANDO AS MISERICÓRDIAS DE DEUS

Motivação

 

“A mim me deu sua infinita misericórdia, pela qual contemplo e adoro as demais perfeições divinas!…Então, todas se me apresentam radiosas de amor.”

(Santa Teresinha)

 

 

Dirigente: Neste quinto dia seremos tocados pela misericórdia de Deus. Santa Teresinha, que só quis cantar e repetir eternamente “as misericórdias do Senhor”, tirará de nosso coração o medo de Deus, revelando-nos a “bondade e o amor misericordioso” do Senhor que, segundo nossa santa, “são pouco conhecidos”. Nossas imperfeições são um impecilho a que nos sintamos dignos da misericórdia do Senhor. Ao contrário, devemos alegrar-nos por nossas fraquezas que nos impõem a necessidade de recorrer frequentemente a Ele. Guiados pela Santa das Rosas, somos convidados a não temer um Deus “que se fez por nós tão pequeno”. A misericórdia de Deus a revestiu como um manto durante toda a vida, especialmente durante toda a sua última enfermidade. Cantaremos com Teresinha as misericórdias do Senhor para que todos saibam que, antes de ser um Deus de justiça, ele é Pai amoroso. A misericórdia com que mutuamente nos tratamos é uma resposta à bondade e à ternura que Ele derrama indistintamente sobre a humanidade.

Leitura bíblica: Mt 5, 43 – 45

 

                “Vocês ouviram o que foi dito: ‘Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo!’ Eu, porém, lhes digo: amem os seus inimigos e rezem por aqueles que perseguem vocês! Assim vocês se tornarão filhos do Pai que está no céu, porque Ele faz o sol nascer sobre os bons e os maus, e a chuva cair sobre os justos e injustos.”

(Momento de Silêncio)

Oração

 

Ó Deus, Pai misericordioso, sois tão surpreendente na compreensão de nossas misérias e fraquezas! Vós, que jamais nos rejeitais, revesti-nos com o manto de vossa misericórdia para que nunca nos sintamos excluídos de vossa mesa. Vós, que cumulaste de graças vossa serva santa Teresinha do Menino Jesus , derramai vossas bênçãos sobre nós, que exaltamos vossa misericórdia. Nós vos pedimos, por intercessão de nossa Santinha, vinde em socorro de nossas necessidades e atendei-nos (faz-se o pedido). Isso vos pedimos por Cristo, nosso Senhor. Amém.

Pai-nosso, Ave-Maria, glória ao Pai.

 
6º DIA
 UMA SÓ MISSÃO NÃO BASTA

Motivação

 

“Queria ser missionária não só por alguns anos, mas quisera sê-lo desde a criação do mundo, e sê-lo até a consumação dos séculos.”

(Santa Teresinha)

 

 

Dirigente: Neste sexto dia refletiremos sobre nossa responsabilidade missionária. Santa Teresinha, a Padroeira Universal das Missões, nunca pôde deixar o seu carmelo para poder ir evangelizar em terras distantes, embora tenha acalentar o sonho de ir para o Oriente e ali viver sua vocação de amor. Seu desejo de ser missionária era tão intenso que chega a confessar que não desejava sê-l durante alguns anos, mas desde a criação até a consumação dos séculos. Além do mais, afirma que uma só missão não lhe bastaria. O ardor missionário de Teresinha se manifesta no seu zelo em salvar almas, isto é, em conduzir as pessoas para Deus, fazendo-as cientes do quanto são amadas pelo Senhor misericordioso. Ela amplia o conceito de missão, levando-nos a compreender que, pela oração, também podemos nos tornar missionários. A eficácia da evangelização depende da união com deis. Teresinha foi apóstola, autêntica missionária, pois ajudou, pela oração e por sacrifícios, os missionários, participando de seus trabalhos por meio de seus coração solidário, sedento de conduzir pessoas ao conhecimento do amor misericordioso de Deus.

Leitura bíblica: Jo 17, 4 – 11

 

                Na Quinta-feira Santa, Jesus orou pelos discípulos dizendo: “Eu te glorifiquei na terra, completei a obra que me deste para fazer. E agora, Pai, glorifica-me junto a ti, coma glória que eu tinha junto de ti antes que o mundo existisse. Eu manifestei o Teu nome aos homens que me deste do meio do mundo. Eles eram Teus e Tu os deste a mim, e eles guardaram tua palavra. Agora eles conhecem que tudo que me destes provém de ti, e que as palavras que lhes dei são aquelas que tu me destes. Eles as receberam, e conheceram verdadeiramente que eu saí de junto de ti, e acreditaram que tu me enviaste. Eu peço por eles. Não peço pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus. E tudo que é meu é teu, e tudo o que é teu é meu, e assim sou glorificado neles. Eu já não estou no mundo. Eles permanecem no mundo, enquanto eu vou para junto de ti.”

(Momento de Silêncio)

Oração

 

Ó Deus, Pai misericordioso, mesmo após sua partida deste mundo, santa Teresinha prossegue sua missão evangelizadora. Ela, que desejou estar presente em várias frentes missionárias, continua sendo modelo para todos os que se dispões a anunciar vosso reino de amor. Enchei-nos do mesmo ardor missionário que incendiou a Padroeira das Missões. Em nossa família e em nosso trabalho sempre encontraremos alguém interessado em conhecer e experimentar vossa misericórdia. Nós vos pedimos, por intercessão de nossa Santinha, vinde em socorro de nossas necessidades e atendei-nos (faz-se o pedido). Isso vos pedimos por Cristo, nosso Senhor. Amém.

Pai-nosso, Ave-Maria, glória ao Pai.

 
7º DIA
 A PEQUENA VIA

Motivação

 

“Quero procurar o meio de ir para o céu por um pequeno caminho bem direto, bem curto, um pequeno caminho todo novo.”

(Santa Teresinha)

 

 

Dirigente: Neste sétimo dia, meditaremos sobre a “Pequena via”, o pequeno caminho de santa Teresinha no qual encontramos a essência de sua espiritualidade. Este caminho, segundo nossa Santinha, é “um caminho real… vereda que foi traçada pelo próprio Jesus”. Leitora entusiasta da vida dos santos, encantava-se com seus grandes feitos e comas duras penitências a que se submetiam. Comparando-se à esses verdadeiros gigantes espirituais, sentia-se um grão de areia, mas nem por isso desistiu de buscar a santidade. Apesar de sua pequenez, foi capaz de descobrir “um pequeno caminho bem direto, bem curto, um pequeno caminho todo novo” em sua busca de perfeição. Incapaz de escalar a “rude escada da santidade”, pediu a Jesus que a levasse nos braços à Montanha do Amor. Estava começando a trilhar a Pequena Via e podia, então, profetizar: “… Como haverá pessoas admiradas ao ver o caminho pela qual fui conduzida!…” Apequena Via é o caminho dos pequenos, daqueles que se aconchegaram como crianças nos braços de Deus Pai. Seremos capazes de trilha-lo?

Leitura bíblica: Lc 9, 46 – 48

 

                 “Houve entre os discípulos uma discussão, para saber qual deles seria o maaior. Jesus sabia o que estavam pensando. Pegou então uma criança, colocou-a junto de si, e disse a eles: ‘Quem receber esta criança em meu nome, estará recebendo a mim. E que me receber estará recebendo aquele que me enviou. Pois, aquele que é o menor entre vocês, esse é o maior.”

(Momento de Silêncio)

Oração

 

Ó Deus, Pai misericordioso, desistimos de ser “maiores” e nos propomos a trilhar a Pequena Via, para sermos acolhidos por vós como crianças necessitadas de carinho e atenção, espelhados no exemplo de Santa Teresinha. Vós, que a cumulastes de graças, derramai vossas bênçãos sobre nós, que exaltamos vossa misericórdia. Nós vos pedimos, por intercessão de nossa Santinha, vinde em socorro de nossas necessidades e atendei-nos (faz-se o pedido). Isso vos pedimos por Cristo, nosso Senhor. Amém.

Pai-nosso, Ave-Maria, glória ao Pai.

 
8º DIA
 SOFRENDO COM ALEGRIA

Motivação

 

“Faz-nos tanto bem quando sofremos, ter corações amigos, cujo eco responde a nossa dor.”

(Santa Teresinha)

 

 

Dirigente: Neste oitavo dia iremos ao encontro de Santa Teresinha para contemplá-la em suas enfermidades e incontáveis provações. Ela foi uma pessoa sofrida, mas esforçava-se em sorrir e espalhar alegria, mesmo quando atormentada pelas provações da “noite escura”. Em uma de suas cartas, ela recomenda: “Acho que nesses momentos de grandes tristezas tem-se a necessidade de olhar para o céu em lugar de chorar…” Experimentava a ternura de Jesus quando sua alma encontrava-se envolta na treva da dúvida e da insegurança. Em sua sabedoria, descobriu que é preciso saber sofrer cada minuto. Cada sofrimento era assumido com uma oportunidade de amadurecer na fé; “Minha alma madureceu no crisol das provações exteriores e interiores.” Suportava todos os sofrimentos corajosamente porque sabia que o “bom Deus” não lhe daria provações que estivessem acima de suas forças. A coragem vinha dele porque “mesmo no meio das provações que nos envia, o Bom Deus é cheio de delicadezas”. Tantos sofrimentos, que lhe tirava, “todo prazer”, não serviam de desculpa para mergulhar em pensamentos melancólicos: “… posso exclamar: Senhor, vós me cumulais de alegria por tudo que fazeis”. O exemplo de santa Teresinha nos consola: Deus está ao nosso lado, segurando nossa mão e enxugando nossas lágrimas.

Leitura bíblica: Mt 26, 37 – 41

 

                “Jesus levou consigo Pedro e os dói filhos de Zebedeu, e começou a ficar angustiado. Então disse a eles: ‘Minha alma está numa tristeza de morte. Fiquem aqui e vigiem comigo’. Jesus foi um pouco mais adiante, prostrou-se com o rosto por terra, e rezou: ‘Meu Pai, se é possível afaste-se de mim este cálice. Contudo que não seja feito como eu quero,  e sim como tu queres’. Voltando para junto dos discípulos, Jesus encontrou-os dormindo. Disse a Pedro: ‘Como assim? Vigiem e rezem, para não caírem na tentação, porque o espírito está pronto, mas a carne é fraca’.”

(Momento de Silêncio)

Oração

 

Ó Deus, Pai misericordioso, quantas vezes sofremos e somos incapazes de vislumbrar os caminhos de esperança que nos apontais. Vossa serva santa Teresinha não temeu a escuridão e o mar envolto no qual poderia naufragar. Queremos confiar plenamente em vós e sentir vossa presença nos momentos em que estivermos cansados de carregar nossas cruzes. Vós, que cumulaste de graças vossa serva santa Teresinha do Menino Jesus , derramai vossas bênçãos sobre nós, que exaltamos vossa misericórdia. Nós vos pedimos, por intercessão de nossa Santinha, vinde em socorro de nossas necessidades e atendei-nos (faz-se o pedido). Isso vos pedimos por Cristo, nosso Senhor. Amém.

Pai-nosso, Ave-Maria, glória ao Pai.

 
9º DIA
 A CHUVA DE ROSAS

Motivação

 

“Quero passar meu céu fazendo o bem sobre a terra.”

(Santa Teresinha)

 

 

Dirigente: Neste último dia, colheremos as prometidas rodas de santa Teresinha. Enviadas profusamente sobre o mundo como “chuva”, são graças colhidas nos jardins do senhor. Com suas promessas de enviar sobre nós uma chuva de rosas, Teresinha não estava sendo romântica ou repetindo a frase edificante que lera na “Vida de São Luiz Gonzaga”. Ela acreditava que sua missão apostólica realmente começaria quando deixasse a terra. O céu não poderia ser para ela um lugar de repouso, mas o prosseguimento de uma intensa atividade salvífica. Prometeu continuar sua missão no céu, trabalhando para o bem das pessoas, e jamais frustra os que confiam em sua oração. Ainda hoje podemos ouvir relatos de curas, milagres e conversões realizados por intermédio da humilde carmelita. Queremos merecer as rosas de santa Teresinha e nos comprometer a viver aquilo que essas flores simbolizam: o amor. Amor que não é apenas delicioso perfume, fruição da delícia de nos sentirmos amados por Deus, mas compromisso de amizade, generosidade e doação, que traz um perfume novo para nossa vida: a alegria de servir.

Leitura bíblica: Mt 8, 5 – 10.13

 

                “Jesus estava entrando em Cafarnaum, quando um oficial romano se aproximou dele, suplicando: ‘Senhor, meu empregado está em casa, de cama, sofrendo muito com uma paralisia’. Jesus respondeu: ‘Eu vou curá-lo’. O oficial disse: ‘Senhor, eu não sou digno de que entres em minha casa. Dize uma só palavra e meu empregado ficará curado. Pois eu obedeço ordens e tenho soldados sobre minhas ordens. E digo a um: vá, e ele vai; e a outro: venha, e ele vem; e digo ao meu empregado: faça isso, e ele faz.”

(Momento de Silêncio)

Oração

 

Ó Deus, Pai misericordioso, nesta jornada de nove dias percorremos as etapas importantes da espiritualidade de santa Teresinha e concluímos na expectativa de sermos agraciados com uma chuva de rosa que a Santinha nos prometeu. Cremos que sois vós que a cumpris, quando atendeis aos rogos da pequena Teresa, vossa filha e nossa irmã no seguimento de Jesus Cristo. Que ela envie pétalas de vossa graça aos nossos corações ansiosos em vos amar sobre todas as coisas. Vós, que a cumulastes de graças, derramai vossas bênçãos sobre nós, que exaltamos vossa misericórdia. Nós vos pedimos, por intercessão de nossa Santinha, vinde em socorro de nossas necessidades e atendei-nos (faz-se o pedido). Isso vos pedimos por Cristo, nosso Senhor. Amém.

Pai-nosso, Ave-Maria, glória ao Pai.

Artigos Similares

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Seu comentário será publicado após aprovação! *Campos obrigatórios. *