Dízimo

O que a Igreja diz sobre: o Dízimo

0 442

O que a Igreja diz sobre o dízimo? Esse é o tema dessa formação que tem por objetivo, principalmente, nos abrir a mente, o coração e por que não as mãos para as necessidades da Igreja, em tempos que vemos uma sociedade materialista, consumista e egoísta.

Você, católico, já deve ter presenciado uma campanha do dízimo, plantão do dízimo ou mesmo um recado ao final da Santa Missa falando da importância e de como ser um dizimista. Realmente, muitas pessoas já estão acostumadas e são fiéis no pagamento do seu dízimo, independente do valor que doam. Há aqueles que dão 10% do seu salário, como há aqueles que dão mais ou menos. Afinal, é uma regra dar um valor fixo de 10% da renda pessoal à Igreja?

O Catecismo da Igreja Católica (CIC) e o Código de Direito Canônico não falam em 10%. Esse valor, ou seja, esse percentual provém de uma citação bíblica no Antigo Testamento (Dt 14, 22): “Certamente darás os dízimos de todo o fruto da tua semente, que cada ano se recolher do campo”.

O que podemos encontrar no CIC (§2043) é o seguinte: “Os fiéis cristãos têm ainda a obrigação de atender, cada um segundo as suas capacidades, às necessidades materiais da Igreja” (grifo nosso). O Código de Direito Canônico diz no Cânon 222 § 1: “Os fiéis têm obrigação de socorrer às necessidades da Igreja, a fim de que ela possa dispor do que é necessário para o culto divino, para as obras de apostolado e de caridade e para o honesto sustento dos ministros”.

Então, irmãos, como bem diz Pe. Paulo Ricardo (que por sinal tem uma matéria bem completa sobre o dízimo [1]): “Não se deve esperar leis para fazer o bem”. E ele ainda diz: “Jesus, rico que era, fez-se pobre para nos enriquecer a todos. Do mesmo modo, devemos seguir essa “imitatio Christi – imitação de Cristo” e socorrer os mais necessitados”.

Encerramos essa formação pedindo a Deus que nos dê um coração desapegado dos bens materiais, sobretudo para socorrer às necessidades do próximo e da Igreja como um todo. E ainda que estejamos abertos a contribuir com o dízimo em nossa paróquia discernindo, à luz do Espírito Santo, o quanto se deve dar e como se deve dar. Lembremo-nos das palavras de São Paulo na sua Segunda Carta aos Coríntios: “Dê cada um conforme o impulso do seu coração, sem tristeza nem constrangimento” (2 Cor 9,7).

Um abraço

Luciene de Oliveira Ribeiro Trindade

Membro de aliança da Comunidade Mariana Resgate

Referências

https://padrepauloricardo.org/episodios/nos-somos-obrigados-a-pagar-o-dizimo

http://blog.cancaonova.com/felipeaquino/2012/10/30/dizimo/

Tagged with: ,

Artigos Similares

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Seu comentário será publicado após aprovação! *Campos obrigatórios. *