Flor no cascalho

O que agrada a Deus em minha pequena alma.

0 1339

“Nada é pequeno quando o amor é grande”
(Santa Teresa do Menino Jesus e da Sagrada Face)
Alguém poderia perguntar: o que poderia Santa Teresinha dizer àqueles que sofrem na luta pela santidade?Durante seus vinte e quatro anos de vida neste mundo, Santa Teresinha nutriu em seu coração um profundo desejo de ser santa. Porém, quando ela pensava em sua vida e a comparava com a vida dos santos (os grandiosos sacrifícios e prodígios que realizavam por graça de Deus), ela se achava muito pequena e limitada. O que uma alma tão pequena poderia oferecer a Deus, que é o Rei dos reis?
Essa pergunta é muito parecida com a que muitos de nós fazemos todos os dias. “Como poderia eu, que carrego esses sentimentos, agradar a um Deus tão santo e imenso? O que eu poderia fazer para agradá-Lo se eu sou tão pecador?”
“O que agrada a Deus em minha pequena alma é que eu ame a minha pequenez e a minha pobreza, é a esperança cega que tenho em Sua misericórdia”
(Santa Teresa do Menino Jesus e da Sagrada Face)
Santa Teresinha encontrou a resposta para essa pergunta do seguinte modo: reconhecendo-se uma alma pequena, ela entendeu que deveria oferecer justamente tudo o que era capaz, pequenas coisas. Ela ofereceu toda a sua pequena vida, as pequenas coisas que fazia, suas pequenas preces, seus pequenos gestos de amor. Tudo ela ofereceu a Deus, por amor a Ele.
Também foi assim com a Virgem Maria. Ela esperava um Salvador como todos esperavam, mas nunca imaginara que Ele viesse dela. Era grande demais para ela, mas Deus a escolheu. Como isso aconteceu já que era tão pequena? Porque para Deus nada é impossível. Deus faz as grandes coisas através dos pequenos. É do pequeno e do humilde que Ele manifesta a sua glória.
Para os orgulhosos é difícil acolher sua pequenez e assumir que é pequeno. O que agrada a Deus, o que dá liberdade para Ele agir é: primeiro; ser pequeno, pobre e humilde; segundo; aceitar, assumir que sou pequeno.
Sou uma “poeirinha”, mas Deus olha para mim, põe os olhos em mim, como disse Maria. E isso acontece porque sou pequeno. Aceito, assumo e amo a minha pequenez. Maria nunca quis ser grande, por isso o Senhor olhou para Ela. Deus pode fazer coisas grandiosas nas pessoas que assumem seu nada. Deus faz quando assumimos que somos pequenos e pobres.
Assim também nós somos chamados a oferecer a Deus nossas vidas. Você que lê essas linhas pode acabar se lamentando dizendo: “Mas eu não consigo amar, nem consigo enxergar o amor de Deus em minha vida”. Pois faça a experiência de Santa Teresinha.
Todos os dias diga “O Bom Deus é bom!” e faça a experiência de listar os pequenos gestos de amor de Deus por você. Agradeça-o pelo dom da sua vida, pela providência do pão de cada dia, pelo ar, pela água, pela Santa Eucaristia, por ter nos dado uma mãe tão bondosa e santa como Maria, por ter confiado as nossas vidas a um santo anjo que nos guarda e nos instrui no caminho da vida e, principalmente, por ter nos dado Jesus, seu Filho Unigênito, como nosso Salvador.
Faça também a experiência de oferecer os seus pequenos gestos a Deus também. Faça os pequenos serviços domésticos com amor, sempre de boa vontade, evitando resmungar ou mesmo julgar seus parentes. No trabalho, faça tudo com amor e o melhor que puder. Busque ter conversas santas, falando sobre as coisas do dia-a-dia, pensando nas coisas do Céu. Não blasfeme, suporte cada dor com paciência, associando sua cruz à de Jesus. Não fofoque, não fale mal dos seus colegas e não seja omisso diante de injustiças. Reze por todos, todos os dias. Estando entre amigos, faça de cada gesto de carinho um convite à santidade. Fuja das conversas vazias e maliciosas, não embarque nas brincadeiras ofensivas e não ceda à luxúria. Busque encontrar motivos para se alegrar em Deus ao invés de ceder à tristeza.
Essas coisas são pequenas e quase ninguém as vê, senão o Bom Deus. Nessas pequenas coisas, ofereça a sua vida a Ele e peça que Ele venha viver com você.
Com Santa Teresinha, alegre-se de conquistar a cada dia pequenas vitórias, que dia após dia se tornarão maiores até a grandíssima vitória de Deus sobre a sua vida. Que você seja salvo e viva, na eternidade, uma vida de comunhão de amor com Deus e com seus anjos e santos, em sua pequenez e sua pobreza!
Abraços fraternos e animadores em Cristo e em Maria!
Silvia Enes
 

Artigos Similares

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Seu comentário será publicado após aprovação! *Campos obrigatórios. *