O vazio das curtidas

0 27

Basta entrar no Instagram ou Facebook e deparamos com uma realidade quase perfeita: pessoas bonitas e sorridentes, casais que se amam e fazem lindas declarações, paisagens paradisíacas, o azul lindo das praias, janelas de avião e muito mais.

No entanto, o que vemos é uma acirrada disputa pela vida mais bacana e atraente. Um mundo de aparências, que transformamos num mundo real! Um mundo em que o mais importante é registrar o momento do que vivê-lo, em fazer bonito do que senti-lo.

Quando compartilhamos uma foto, um link ou um pensamento nas redes sociais, mostramos aquilo que desejamos que nos defina. Existe, inconscientemente, uma necessidade de aceitação, de autoafirmação. ¹

Receber um comentário em um post ou receber muitas curtidas estimula a autoestima, traz afirmação à pessoa e até um alívio de uma solidão interior. Passamos a nos definir por base da audiência que conquistamos. Contudo, na era do imediatismo em que estamos, cria-se uma angústia e uma ansiedade por respostas (feedbacks) por meio de curtidas e comentários.

Com isso, vários sentimentos são desenvolvidos de maneira desproporcional e sem que percebamos: frustração, orgulho, inveja, raiva, arrogância, ansiedade, alegria, curiosidade, etc. Seria errado então a nós que buscamos uma vida de santidade e uma vida conforme à de Cristo, utilizar as mídias sócias, uma vez que elas podem estimular em nós sentimentos e desejos tão contrários às virtudes de Cristo?

Não é errado, mas como em tudo na nossa vida, precisamos muitas vezes parar e analisar como tem sido nosso uso das redes sociais, o que de fato tem nos motivado. Pode parecer bobeira, afinal, é só uma postagem, umas curtidas… Mas é importante que se pare e pense: quanto tempo gasto nas redes sociais? O que penso quando posto algo? Fico comparando com outros contatos para ver quem teve mais curtidas? Alguma vez me achei inferior por ver postagens de conhecidos?

Santa Teresinha do Menino Jesus, nossa baluarte, vem nos dizer: “Eu sou o que Deus pensa de mim.” Num mundo tão líquido e rotativo em que vivemos, esquecemos do que somos verdadeiramente: filhos amados de Deus! Esquecemos que temos um Deus que deu Seu Filho para nossa salvação, esquecemos do Preço do nosso Resgate! E acabamos por nos prender a coisas tão pequenas, por exemplo ao número de curtidas, a quantos seguidores temos…

Enfim, meu querido irmão e irmã, não importa quantas curtidas e seguidores você tem, mas sim o quão livre você é diante a um mundo tão preso. Seja simplesmente aquilo que Deus te fez pra ser, e não o que estão querendo te impor para ser!

Abraços fraternos,

.

.

Larissa Souza

Comunidade Mariana Resgate

(Visited 33 times, 1 visits today)
Tagged with: ,

Artigos Similares

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Seu comentário será publicado após aprovação! *Campos obrigatórios. *