Pregação X Palestra

0 2913

No livro “Servir no Espírito”, Padre Léo diz: “O Carisma da Pregação (ou Ministério da Pregação) é outro importante dom do Espírito para todos nós. Mas a pregação não pode virar palestra. Palestra agente faz sobre qualquer assunto. basta um pouquinho de estudo, aliado a algumas técnicas de oratória. Mas isso não é pregação. A pregação precisa ser fruto da experiência, da oração”.
O Bom Deus, quando nos presenteia com alguns ministérios, nos capacita para servir e fazer em Nome Dele. Deus insiste em precisar de cada um de nós!
Como diz santa Faustina: “OSenhor sabe trabalhar e atuar com instrumentos insuficientes.
A pregação é forma de servir, levando aos outros todo ensinamento e vivência de Deus. É uma graça que Deus dá para algumas pessoas de anunciar Seu Reino.
Nem todos têm o dom de falar em público com facilidade e clareza. Falar sobre o Reino de Deus requer não só estudo da Palavra, mais uma comunhão com ela. Viver o que nela se lê, anunciando não só com palavras, mas com a vida. Essa é a maior pregação que uma pessoa pode fazer. A vida de oração e vivência dos sacramentos caminham juntos de um bom pregador(a).
A Virgem Maria é exemplo de pregadora da Palavra com a vida. Soube desde pequena buscar as coisas de Deus e colocá-las em pratica. Seu sim foi reflexo da comunhão com a Palavra e segurança total em Deus. Na Sagrada Escritura o nome de Maria é o que menos aparece, mas foi por Ela que o Verbo da Sagrada Escritura chega até todos nós. A unção esteve presente em Maria o tempo todo.
Algumas formas de pregar:
Querigma: primeiro anúncio de Jesus, pregação impactante. O objetivo é nascer de novo, ter vida. O conteúdo é o anúncio de Jesus, morto, Salvador, Ressuscitado, Senhor, Glorificado e Messias. O agente é o evangelizador, que é uma testemunha cheia do Espírito Santo. O evagelizando dá uma resposta pessoal: Meu Senhor é meu Salvador.
Catequese: ensino progressivo da fé. É crescer em Cristo, ter vida em abundância. O conteúdo é a explicação da doutrina da fé, moral, dogmas, Bíblia, etc.
Geralmente nos grupos de oração as pregações são querigmáticas, de tempo menor, trazendo a Palavra para a atualidade, conduzindo os que escutam a meditar e refletir sobre o texto proclamado. É como um choque de 220 volts de Jesus nos irmãos ouvintes. Já a catequese, como o nome já descreve, é a formação, usada em encontros/grupos de formação ou em grupos de perseverança.
As duas formas de pregar são movidas pelo Santo Espírito, e de muita importância para todos que querem conhecer e crescer em Jesus.
A comunhão com a Sagrada Escritura requer disciplina, vida de oração e busca constante de Jesus através de seus escritos. O pregador precisar conhecer e bem o quê e de quem está anunciando. A intimidade com Deus reflete nos frutos de uma boa pregação.
Toda pregação precisa ter inicio, meio e fim, independentemente do tempo de duração. Uma boa preparação para a pregação une a alma do pregador ao Santo Espírito. Isso permite que seu humano não atrapalhe a ação de Deus na condução. Tendo o tema/rema da pregação, o pregador reza, apresenta ao Santo Espírito sua vida, as pessoas que irá encontrar no momento da pregação, deixa o Santo Espírito livre para trabalhar, inspirar algum sinal, palavras ou visualização que irá usar. Em seguida, anota tudo que Lhe inspira em oração. Em seguida, coloca em ordem que Ele apresentou. Com isso, o pregador consegue montar um esqueleto da pregação, facilitando e auxiliando no momento em que for pregar. Isso ajuda muito a trabalhar a auto-suficiência e o orgulho, pecados que perseguem todos que têm esse ministério. Porém, é preciso cuidado para não ficar muito preso no papel.
O pregador precisar saber antes de ir pregar como é o publico que irá pregar, Se são jovens, adultos, adolescentes, famílias, casais etc. Deve buscar ao máximo usar a linguagem conforme a realidade das pessoas que irão ouvi-lo, para não usar termos complexos, dificultando o entendimento. O pregador, dando liberdade ao Espírito Santo, será dinâmico, um grande instrumento para o Bom Deus.
Que todos que têm esse ministério possam vivenciá-lo com amor e ardor, sendo sempre gratos a Deus pela Sua bondade em permitir que nós, meros pecadores, possamos servi-Lo.
Em Jesus e Maria
Danusa da Silva

Artigos Similares

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Seu comentário será publicado após aprovação! *Campos obrigatórios. *