pec-site

Tá na mídia: PEC 241 (55)

1 197

Caro leitor, você certamente já ouviu falar (e tem visto as consequências) do que está acontecendo em nosso país – crise política e econômica, corte nos gastos, inflação, desemprego, etc…

E, nos últimos dias, tudo isso vem acompanhado de um agravante – a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241/2016, de autoria do Poder Executivo que, após ter sido aprovada na Câmara Federal, segue para tramitação no Senado Federal.

Você já leu algo sobre a PEC? Já viu a movimentação com panfletos, cartazes, palestras em nossa cidade e no Brasil, nas escolas e até mesmo nas paróquias? Isso mesmo nas paróquias, afinal o conteúdo da PEC 241 (ou também denominada PEC 055) não se trata de algo meramente político e distante de nós; pelo contrário é algo que afetará toda a população, sobretudo os mais pobres e necessitados dos serviços básicos de saúde e educação em nosso país.

Em nota da CNBB[1] sobre o assunto podemos encontrar vários esclarecimentos sobre o que se trata a PEC, mas de maneira resumida podemos concluir que esta proposta é “apresentada como fórmula para alcançar o equilíbrio dos gastos públicos, de modo a limitar, a partir de 2017, as despesas primárias do Estado – educação, saúde, infraestrutura, segurança, funcionalismo e outros – criando um teto para essas mesmas despesas, a ser aplicado nos próximos vinte anos. Significa, na prática, que nenhum aumento real de investimento nas áreas primárias poderá ser feito durante duas décadas. No entanto, ela não menciona nenhum teto para despesas financeiras, como, por exemplo, o pagamento dos juros da dívida pública. Por que esse tratamento diferenciado?”

Ainda de acordo com a CNBB (e nisso todos – cristãos ou não – têm concordado), “a PEC 241 é injusta e seletiva. Ela elege, para pagar a conta do descontrole dos gastos, os trabalhadores e os pobres, ou seja, aqueles que mais precisam do Estado para que seus direitos constitucionais sejam garantidos. Além disso, beneficia os detentores do capital financeiro, quando não coloca teto para o pagamento de juros, não taxa grandes fortunas e não propõe auditar a dívida pública”.

Amados irmãos, estejamos atentos em oração e ação pelo futuro do nosso país. Participe dos debates, fique atento ao que está sendo proposto… E, ainda com fé não deixe de rezar por nosso país, por nosso presente, nosso futuro e o futuro de nossos filhos…

Deus abençoe

.

.Luciene

.

Luciene de Oliveira Ribeiro Trindade

Comunidade Mariana Resgate

Tagged with: , , ,

Artigos Similares

1 Comentário

  1. José Carlos da Costa Júnior novembro 13, 2016 at 3:57 pm

    Concordo plenamente com você Luciene… Não podemos desistir de lutar pelo futuro das gerações seguintes e devemos ter sempre Fé porque Deus com certeza fará o melhor pra todos e para o futuro de nosso país… Amém

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Seu comentário será publicado após aprovação! *Campos obrigatórios. *