Tão sublime Sacramento!

Tão sublime Sacramento! Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer escreve artigo sobre Corpus Christi

0 435

“A solenidade de Corpus Christi nos coloca diante do grande tesouro da Igreja, a Eucaristia”, de acordo com o Arcebispo de São Paulo, Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, em seu mais novo artigo publicado.

Dom Odilo inicia seu artigo ao dizer que o próprio Mistério da Eucaristia pode ser considerado um dom inefável, onde devemos adorar, agradecer, louvar e nos alegrarmos no Senhor.

O Cardeal explicou que os textos da liturgia de Corpus Christi fazem menção a diversos significados, bem como percepções da Fé da Igreja na Eucaristia.

“É ‘memorial’ da paixão, instituída por Cristo na última ceia, pouco antes de padecer a cruz. As palavras de Jesus dão significado ao gesto da entrega do pão e do vinho aos apóstolos: ‘é meu corpo entregue por vós; é meu sangue, derramado por vós'”, lembrou.

Segundo o purpurado, a última ceia de Jesus com os apóstolos era a ceia da Páscoa judaica, na qual se comia o cordeiro pascal. Naquela época, Nosso Senhor dá um novo significado, como “ceia da nova e eterna aliança”, selada no seu próprio sangue.

A Liturgia, prosseguiu, faz constantes referências a este aspecto “sacrifical” da Eucaristia, ceia pascal dos cristãos, pois “antes da comunhão, a Eucaristia é apresentada ao povo com as seguintes palavras: “eis o cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”.

“Na cruz, Jesus é o ‘cordeiro imolado’ entregue inteiramente pela nossa redenção, ‘para que não pereça todo aquele que nele crê’. Por esta ‘entrega por nós’, alcançamos misericórdia, perdão e vida sem fim.”

A Eucaristia, conforme Dom Odilo, também é um “sinal de unidade e vínculo da caridade”.
O Arcebispo também destacou que a Eucaristia é banquete de irmãos à mesma mesa, unidos todos numa só família, “em Cristo”, e nela, nossa comunhão no amor do Nosso Senhor e na mesma Fé da Igreja é significada e realizada.

“A Eucaristia é celebrada aqui na terra ‘até que Ele venha’. Por isso, ela também é sinal e anúncio profético da grande esperança que vem da nossa Fé: aquilo que acolhemos na penumbra da Fé e celebramos por sinais na terra, é o mesmo que ainda esperamos e se tornará plenamente manifesto na vida eterna: ‘anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!'”, completou.

Concluindo seu artigo, Dom Odilo ressaltou a tamanha riqueza encontrada na Eucaristia. “Não é sem razão que, em Corpus Christi, a Igreja adora e aclama este ‘sublime Sacramento’ – ‘Sacramento de Jesus Cristo e da sua Igreja!’ Vinde, todos, adoremos e rendamos graças ao Senhor!” (LMI)

Da redação Gaudium Press, com informações Arquidiocese de São Paulo

Fonte: Gaudium Press

Artigos Similares

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Seu comentário será publicado após aprovação! *Campos obrigatórios. *