caryne

Testemunho de Caryne

0 82

Sabe quando a gente vai levando a vida e deixando a vida levar? Estava assim, ainda triste devido à uma decisão que eu havia tomado um tempo atrás, e até aquela época eu tinha minhas dúvidas se tinha tomado a decisão certa. Eu chorava quase todos os dias de tristeza por não saber porque estava tão insatisfeita com tudo, com minha mãe (pois eu brigava muito com ela), com meus amigos, com meu tempo, com meu curso. Não tinha problemas graves, mas estava mal por dentro, bebia quase todos os dias achando que era isso que ia me relaxar, saía muito (quase todos os dias) com meus amigos e quase sempre estava muito bem vestida, animada e aparentemente feliz. Chamava a atenção de muita gente tanto para novas amizades tanto para paquerar e depois da balada eu sempre voltava pra casa chorando porque aquilo não me alegrava verdadeiramente.

Em agosto de 2013 fui a primeira vez no Missão Resgate, depois de ter sido convidada várias vezes pelo Sandro, Camila M, Jonh Jonh e pela Val, até que um dia a Val me ligou pra saber como eu estava e eu disse que estava bem, porém, “meio assim sei lá”. Aí ela me convidou para ir conhecer o lugar onde ela gostava tanto e eu fui.

No começo, eu era do tipo de pessoa que achava que apenas o fato de não fazer mal aos outros já bastava “pra não ir pro inferno”. Depois, quando fui a primeira vez no Missão (mesmo não gostando da idéia de ser católica) gostei muito, e por causa disso, fiquei apavorada porque fui em muitas igrejas e não me sentia tão bem quanto ali todos os domingos. De repente um mês, dois, três… oito meses sem faltar e aqueles encontros com Deus (aqueles “chororôs” rsrs) foram me curando, me fazendo sentir viva, útil, amada, e o mais importante, dependente e apaixonada por Jesus!

O amor de Deus foi me conquistando de tal forma, que tudo ali me atraía, as músicas, a acolhida das pessoas sempre sorridentes (mesmo na dor!), encontrei pessoas que estavam ali não porque eram infelizes e não tinham mais jeito, e sim porque eram felizes e precisavam dividir com os outros! Sei que isso tudo é o cuidado de Deus comigo porque Ele sabe como atrair cada um de nós. Fiquei encantada com as palavras de sabedoria que o Espírito Santo colocava nas pregações daquele lugar, até que um dia desejei profundamente ficar ali, e foi quando aconteceu: DEUS FALOU COMIGO! E foi tão direto que quase passei mal de alegria!

Estava num momento de oração que antecede a pregação e pedia muito pra Deus falar comigo, me provar que existia, que agia em nós. Eu pedia que Ele me mostrasse onde era o meu lugar, porque eu queria serví-Lo, mas não tinha coragem de ser católica. Daí questionei: se Ele alimentava tanto o meu desejo de ficar ali, porque eu não ficava? Foi quando eu pedi: “Deus! Eu sinto que quero ficar aqui, se o Senhor quer mesmo que eu fique, me mostra, mas tem que desenhar porque eu não entendo os sinais. PÕE UM HOLOFOTE NA MINHA CABEÇA?” E o que aconteceu? Ele colocou! Nesse dia a Andréa começou a pregação me usando de exemplo pra um outro assunto que tinha a ver com a pregação; o fato é que, todos olharam pra mim na hora que ela falou “Caryne! É você?” e nessa hora, me senti como se tivesse um holofote na minha cabeça! Dali pra frente foram só “diretas diretas” do tipo Deus cuida do que é Dele e eu comecei a acreditar que sou Dele e essa confiança está comigo desde aquele dia!

Eu sempre fui desconfiada com tudo e questionava tudo que eu não compreendia. Não acreditava no místico, no sobrenatural, naquilo que não podia ver e numa partilha com uma irmã, ela me aconselhou a deixar Deus agir no meu racional, na minha inteligência e que o Espírito Santo podia me ajudar.

Hoje compreendi que melhor do que defender uma religião, é deixar Deus mostrar o que Ele quer de mim, é estar em comunhão com Ele e em comunidade com os irmãos. Tenho fé em Deus, acredito na intercessão de Maria, já sirvo na acolhida e no louvor, mas quero muito mais de Deus na minha vida e na vida dos meus, pois as melhoras que vivo na minha convivência com minha mãe, no meu trabalho, no meu namoro com o Maxwell que sei que é o meu “José”, nada mais é, do que ação de Deus!

E sabe aquela felicidade? Está aqui em forma de positividade com que vejo as coisas, com o alívio que dá quando posso concordar com as pessoas sem medo de me sentir por baixo, com a segurança de passar pelas tempestades sabendo que depois vem o apredizado e isso nenhuma “cervejinha” traz.

Para muitos pode parecer pouco, mas pra mim é fundamental hoje saber que eu sou Cristã, sou católica e sou Mariana Resgate e Missão Resgate!

Caryne

Artigos Similares

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Seu comentário será publicado após aprovação! *Campos obrigatórios. *